A pimenta e seus benefícios

O que que a pimenta tem
As pimentas do gênero capsicum (vermelhas) são ricas em vitamina C e contam, ainda, com vitamina E, betacaroteno, licopeno, fósforo, cálcio e potássio, mas a grande vedete é a capsaicina, princípio ativo responsável por muitos dos benefícios que ela proporciona.
Estudos apontam para as propriedades anti-inflamatória, antimicrobiana, digestiva, imunoestimulante, carminativa (antiflatulência), antioxidante, termogênica, vasodilatadora, cicatrizante, anticancerígena, expectorante, anticoagulante, descongestionante, entre outras, da pimenta.

Os benefícios da pimenta para a saúde

O alimento é um potente antioxidante, combate os radicais livres prevenindo doenças relacionadas com o processo oxidativo do corpo e o envelhecimento precoce.
Seu consumo estaria relacionado com a diminuição da sensação de dor, já que libera endorfina no cérebro, que age como um analgésico natural, aumentando a sensação de prazer, disposição e bom humor.

Muitos a indicam para pessoas que sofrem com enxaqueca e depressão.
Aumenta a produção de suco gástrico, melhorando a digestão, tem efeito termogênico, acelerando o metabolismo e aumentando o gasto calórico, estimula o sistema imunológico e combate processos inflamatórios.

Tem gente que é doida por pimenta, outros que gostam em pequenas dosagens e, ainda, aqueles que não suportam a sensação de ardência de muitas delas, tudo é uma questão de paladar e costume.
Já os benefícios da pimenta não são nada relativos, vamos ver quais são suas propriedades e por que ela pode ser considerada uma aliada da saúde e também da dieta.

A pimenta e seus benefícios
A pimenta e seus benefícios
A pimenta e seus benefícios

Pimenta na hora do consumo
Quanto mais ardida, mais princípio ativo (capsaicina) tem a pimenta. Algumas das principais pimentas do gênero capsicum nativas do Brasil são: murupi, cumari, arriba saia, malagueta, pimenta de cheiro, pimenta de bode, dedo-de-moça, pimenta biquinho e a cambuci, sendo que essas duas últimas são pimentas aromáticas com zero de ardência.
Quando se exagera na dose de uma pimenta ardida é que nunca se tome água para abrandar a ardência e, sim, leite ou derivados, que contêm caseína, uma proteína que retira a capsaicina dos receptores da boca e diminui o desconforto.

Contra indicações ou contradições?
Existem linhas de pensamento contraditórias em relação aos benefícios da pimenta por quem sofre de enxaqueca e por pessoas com problemas no trato gastrointestinal, de um lado a pimenta é defendida, até um certo ponto, como benéfica e, por outro, é vista com reserva e desconfiança.
Há estudos que mostram que a pimenta não faz mal nenhum. “O consumo de pimenta é essencial para quem tem enxaqueca ou dor de cabeça crônica”.

O consumo por pessoas com problemas gástricos como refluxo, azia, gastrite, úlcera e hemorroida, pode piorar e agravar o problema, assim como para quem sofre com enxaqueca.
É recomendado evitar molhos de pimenta industrializados, ricos em sódio, conservantes e realçador de sabor, dando preferência para as pimentas in natura ou em conserva artesanal.

Talvez o ponto de discordância esteja mais relacionado com as quantidades e a frequência, como tudo na vida o bom senso deve prevalecer e o fator individualidade, também deve contar.
Em casos de doenças gastrointestinais o melhor é falar com seu médico e ver qual a melhor indicação.
O consumo exagerado deve ser evitado por todos!

Beneficios da pimenta suco gástrico, melhorando a digestão, tem efeito termogênico, acelerando o metabolismo e aumentando o gasto calórico, estimula o sistema imunológico e combate processos inflamatórios 2

Próximo Post

Anterior Post