Tradicional ranking do Lonely Planet sugere cidades para serem visitadas esse ano.

Sevilha, Espanha
Os especialistas do guia Lonely Planet colocam Sevilha no topo da lista.
A cidade artística passou a chamar maior atenção depois de ter sido diversas vezes cenário da série de televisão “Game of Thrones”.
Além disso, a metrópole, antes assolada por engarrafamentos, mudou e, nos últimos anos, se tornou amigável aos ciclistas

Detroit, EUA
Depois de décadas sem chamar a atenção de viajantes, a antiga cidade automobilística volta a entrar em cena. Modelos criativos de negócios como em destilarias, lojas de bicicletas e galerias começaram a revitalizar e transformar o desolador cenário de edifícios abandonados.
E com os novos habitantes na cidade, surgem também os turistas. Detroit é particularmente popular entre mochileiros.

Camberra, Austrália
Costuma-se dizer que quem visita Camberra conhece o espírito australiano.
Há muito a se descobrir na Galeria Nacional, na Biblioteca Nacional e no Memorial de Guerra Australiano.
O Parque Nacional Arboretum merece também uma visita: seus 250 hectares contam com uma vasta rede de trilhas e ciclovias entre as 94 florestas de árvores raras, ameaçadas de extinção e simbólicas de toda a Austrália.

Hamburgo, Alemanha
Não é somente o novo e impressionante prédio da sala de concertos Elbphilharmonie que torna a cidade portuária de Hamburgo, no noroeste da Alemanha, um destino de viagem atrativo.
De acordo com o guia Lonely Planet, Hamburgo impressiona tanto pela receptividade de seus habitantes como também por sua vida noturna considerada uma das melhores na Europa.

Kaohsiung, Taiwan
A segunda maior cidade de Taiwan foi o único destino na Ásia incluído no ranking do Lonely Planet.
A cidade portuária traz uma paisagem moderna urbana que mescla templos tradicionais, cafés ao ar livre, ruas largas, parques aquáticos, transportes públicos, ciclovias e espaços culturais. Incorporando, assim, a herança do passado ao presente.

Antuérpia, Bélgica
Combinando a elegância clássica e o despojamento moderno, a Antuérpia, uma das maiores cidades europeias, ocupa um dos destaques do guia.
Em 2018, a capital “não oficial” de Flandres festejará sua herança barroca com distintas exibições.
“Antwerp Baroque” exibirá todas as obras de Rubens, o artista mais famoso que residiu na cidade, além do cenário inovativo do design e arquitetura da cidade.

Matera, Itália
As construções em pedra na cidade montanhosa de Matera formam um verdadeiro emaranhado de labirintos, que abrigam cavernas datadas de 9 mil anos, igrejas e monastérios. Isso faz com que Matera seja uma das cidades habitadas mais antigas do mundo.
Eleita a Capital Europeia de 2019, Mateda é desde 1993 patrimônio cultural da humanidade da Unesco, tendo seu centro histórico revitalizado.

San Juan, Porto Rico
San Juan é um lugar onde o antigo se encontra com o novo, onde a cidade de passado colonial se encaixa perfeitamente à modernidade urbana.
Em setembro, o furacão Maria devastou Porto Rico, tornando-se a maior catástrofe natural que atingiu o arquipélago em nove décadas.
Porém, não há dúvida que a cidade será reconstruída e seguirá conservando seu charme característico.

Guanajuato, México
A riqueza produzida pela extração da prata em Guanajuato fomentou a criação de uma paisagem urbana impressionante, com igrejas ornamentadas, casas coloridas e bairros tipicamente coloniais.
Sua beleza natural mesclada à intervenção humana impressionou os produtores da Pixar de tal modo que utilizaram Guanajuato como referência espacial para a nova animação “Viva – A vida é uma festa”.

Oslo, Noruega
A capital da Noruega é a quinta cidade europeia no top 10 do guia.
Esse ano será repleto de eventos em Oslo: serão festejadas as bodas de ouro do rei e da rainha e os dez anos da Opera House, monumento símbolo da cidade, que contará com uma programação comemorativa.