Cama de casal não tem esse nome à toa.

Dormir na cama dos pais pode ser um hábito comum entre bebês e crianças, mas é considerado um erro e deve ser evitado.
Para algumas famílias, a vontade de proteger ultrapassa o bom senso e elas acabam acostumando os filhos desde pequenininhos a dormirem em seus quartos, mais precisamente no meio do casal.

Cama do casal

Saiba como lidar com essa situação: filhos na cama dos pais

O tempo passa, a criança completa 5, 6 anos, depois faz 7 e todas as noites aparece na porta implorando pelo cantinho que no fundo também passou a ser dela, embora ela tenha um quarto lindo, confortável e uma cama particular.

O ato em questão, além de prejudicar o desenvolvimento da criança e a falta da independência, atrapalha a intimidade do homem e da mulher e a noite se transforma em um transtorno constante.

À princípio, acolher o filho em uma situação de medo, dores de barriga, possíveis monstros no quartos, e outras histórias que eles contam parece ser a melhor solução. Porém, os especialistas acreditam que essa atitude pode acarretar uma série de confusões na cabeça da criança.

É necessário entender porque a criança tem o hábito de dormir com os pais.
Muitas vezes, um dos dois não está com vontade de um momento mais íntimo por isso permitem que o filho durma lá.
É um bom pretexto.
Ou porque não têm paciência de fazer com que a criança perceba de outra maneira que ela deve vencer seus medos e dormir em seu quarto, sozinha.
É recomendável que, assim que ela aparecer, um deles se levante, leve-a para sua cama, converse e fique em seu quarto até que ela pegue no sono.