Capim guiné
Plantei um sítio / No sertão de Piritiba / Dois pés de guataiba /Caju, manga e cajá
Peguei na enxada / Como pega um catingueiro / Fiz acero, botei fogo / “Vá ver como é que tá”
Tem abacate, jenipapo / E bananeira / Milho verde, macaxeira / Como diz no Ceará
Cebola, coentro / Andu, feijão-de-corda / Vinte porco na engorda / Até o gado no currá
Com muita raça / Fiz tudo aqui sozinho / Nem um pé de passarinho /Veio a terra semeá
Agora veja / Cumpadi, a safadeza / Cumeçô a marvadeza / Todo bicho vem prá cá
Num planto capim-guiné / Pra boi abaná rabo / Eu tô virado no diabo / Eu tô retado cum você
Tá vendo tudo / E fica aí parado / Cum cara de viado / Que viu caxinguelê

Suçuarana só fez perversidade / Pardal foi pra cidade / Piruá minha saqüé / Qüé! Qüé!
Dona raposa / Só vive na mardade / Me faça a caridade / Se vire e dê no pé
Sagüi trepado / No pé da goiabeira / Sariguê na macaxeira / Tem inté tamanduá…
Minhas galinha / Já num fica mais parada / E o galo de madrugada / Tem medo de cantá
Num planto capim-guiné /Pra boi abaná rabo / Eu tô virado no diabo / Eu tô retado cum você
Tá vendo tudo / E fica aí parado / Cum cara de viado / Que viu caxinguelê
Num planto capim-guiné / Pra boi abaná rabo / Eu tô virado no diabo / Eu tô retado cum você
Tá vendo tudo / E fica aí parado / Cum cara de viado / Que viu caxinguelê
Num planto capim-guiné / Pra boi abaná rabo / Eu tô virado no diabo / Eu tô é, tô é retado cum você
Tá vendo tudo / E fica aí parado / Cum cara de viado, ôme? / Que viu caxinguelê