Coloca aquela tomara-que-caia que insiste em cair e/ou um sapato que, com certeza, vai tirar antes do fim da festa.

Alguns incômodos simples com acessórios têm solução!

Brincos pesados

Caso utilize brincos pesados diariamente, prefira aqueles de pressão ou com tarraxas grandes.
Mulheres de estatura baixa, no entanto, ficam mais elegantes com peças menores e delicadas, mantendo a proporção.

As pessoas altas com rosto oval ou retangular podem exagerar um pouco mais, desde que não prejudiquem a orelha.

Bracelete
Dependendo do tamanho e material que foi fabricado, ele atrapalha o movimento do braço e pode até machucar.
Mulheres de braços curtos devem evitar o acessório, que as deixam ainda menores.
Braços gordinhos também não são ideais, pois parecem ainda mais largos.

A peça combina com braços longos e finos.
De qualquer forma, utilize sem outros acessórios que chamem muito a atenção.

Saltos muito altos

Usar constantemente salto alto pode afetar a espinha dorsal, causando problemas de coluna.
Para calçá-los, é necessária uma boa postura.
O ideal é que a pessoa aprenda a subir aos poucos, começando pelo de três centímetros.
Para caminhar, deixe o peito aberto, ombros soltos, bumbum e barriga para dentro.

Quando quiser calçar saltos maiores que sete centímetros, prefira os que possuem plataforma e base mais larga, para conforto e elegância.
Saltos altos favorecem mulheres de estatura baixa, as mais altas devem evitar.
Para gordinhas, o recado é evitar sapatos pontudos, de salto agulha.

Problemas do salto alto

O angiologista e cirurgião vascular José João Lopes explica que existe um tecido parecido com uma esponja na parte interna da planta do pé.
Quando andamos, esse tecido é comprimido e ajuda na subida do sangue.
Com o uso diário do salto acima de cinco centímetros, a anatomia do pé muda e o movimento é prejudicado.

Como dica, ele sugere usar saltos até quatro centímetros no dia-a-dia e fazer um repouso ao longo do dia, de dez a 15 minutos, com as pernas elevadas.
Para mulheres que precisam usar diariamente ele sugere, ao caminhar de casa para o trabalho e vice-versa, o uso de tênis ou sandálias.
Além disso, devem fazer duas a três pausas e colocar as pernas elevadas.

Sapatos apertados e que escorregam do pé

Você sabia que as chinesas utilizavam sapatos apertados para impedir o crescimento do pé?
Isso acabava atrofiando o “lótus dourado”, comprometendo equilíbrio e locomoção.
Esses calçados provocam unha encravada, bolhas, joanete e chulé.

Portanto, prefira fazer suas compras no fim da tarde, quando seus pés estão mais inchados, para assim evitar apertos futuros.
Outra dica é manter o calçado umedecido por cerca de 12 horas, com água e álcool.
Deixe secar ao sol por alguns minutos com papel amassado bem apertado dentro do acessório.

Você pode, ainda, comprar um número maior e utilizar a palmilha, para evitar que o pé deslize e compensar o que ficaria sobrando atrás, deixando os dedos mais livres na frente.
Quando levado ao sapateiro ou utilizado com meia grossa, o calçado pode aumentar até meio ponto.

Sapatilhas que machucam o pé

Atenção!!! Seja qual for o problema com o calçado, não coloque vela ou insira no forno.
Isso pode estragar e deformar de uma vez por todas.

A recomendação de compra é a mesma dos sapatos apertados: no fim da tarde, quando os pés estão inchados.
Para amaciar o calçado, utilize meias grossas ou peça para alguém com o pé um pouco maior vesti-lo.
Se mesmo assim machucar, a dica é aplicar base de rosto para amenizar os vermelhidões do calcanhar.

Calça baixa que deixa aparecer o cóccix

Não há nada mais deselegante do que mostrar o “cofrinho”.
Nesse caso, prefira blusas compridas que cubram o cóccix mesmo quando estiver sentada ou bodies.
Caso a peça vá por dentro da calça, opte pelo uso de cinto.

Se a mulher possui quadril largo e cintura fina, deve evitar blusas por dentro da calça.
Além disso, o uso constante da cintura baixa pode formar uma marca na barriga, mesmo em pessoas magras.

Tipo de calça para cada pessoa
Calças baixas e justas – apenas mulheres com corpo nas medidas certas, pois destacam as curvas.
Quem tem barriguinha, nem pensar em cintura baixa.
Calças largas – mulheres que queiram aumentar o volume das pernas ou as muito magras.
Legging – fica bem para todo tipo físico, o que muda é a blusa que o acompanha.
O tipo de blusa pode ser curta e justa para quem não tem barriga ou quadril muito largo, mais batas ou vestidos curtos usados sobre o legging fazem qualquer produção muito bacana.