São inúmeras dietas da moda e que milhares de pessoas fazem com a intenção de perder peso.
Dieta Dukan,do tipo sanguíneo e ortomolecular, dieta da USP, dos sucos e dos pontos; dieta Dr. Ornish, das frutas, da sopa e da lua…

A obesidade é uma mina de ouro.

Primeiro, oferecem alimentos calóricos em abundância e, depois, elegem um modelo de corpo inalcançável.

O objetivo da maioria dos afoitos que se jogam nesses regimes malucos é possuir um corpo com medidas enxutas no menor prazo possível.
A saúde, quase sempre, é só desculpa de quem não tem coragem de assumir que quer um corpo magro.

Porque, convenhamos, diante da ingestão excessiva de alguns alimentos e a falta de outros tão importantes para o bom funcionamento do organismo, é possível como já vimos exemplos por aí obter um corpo magro, emagrecer.
Mas não um corpo saudável!

Muitos programas alimentares podem levar os usuários a sérios problemas cognitivos.
Isso porque, de acordo com estudos, deixar de comer proteína ou carboidrato, por exemplo, pode causar desde uma desnutrição a transtornos psiquiátricos.
Além do mais, perder peso não quer dizer necessariamente que ocorre perda de gordura corporal.
Em algumas situações, em especial em dietas tão restritivas, o corpo perde muita água e massa muscular.

Outros métodos também bastante procurados por pessoas acima do peso é a cirurgia bariátrica, o balão intragástrico, a cirurgia de Payne (desvio intestinal), entre outras.
Estas que também estão na crista da moda e sendo sugeridas por muitos médicos como se fossem procedimentos cirúrgicos simples.
No entanto, essas técnicas são indicadas em alguns casos desnecessários e, muitas vezes, o paciente acaba não tendo o devido acompanhamento psicológico.
Este que é tão importante e essencial para que a pessoa não transfira a sua compulsão alimentar para outros tipos de compulsões.

Mil e um tipos de tratamentos, dietas, remédios, cremes, cirurgias plásticas e afins prometem exatamente o tal modelo de corpo perfeito.
Um ciclo que parece não cessar e que enche os bolsos das indústrias, ‘esvaziando’ a saúde dos corpos e, principalmente, das cabeças das pessoas.

Nosso corpo realmente consegue ser reeducado em um curto espaço de tempo como esse? E as questões psicológicas que levam as pessoas a engordarem, algumas vindas desde a infância? Elas conseguem ser resolvidas também, tão rapidamente? Enquanto estão no programa, os participantes possuem todo um apoio profissional. Depois, como eles lidam com a realidade?

Em primeiro lugar você deve se gostar de dentro pra fora.
Porque se você quer realmente cuidar da sua saúde, mude seus hábitos alimentares e movimente-se.
Faça o que é possível dentro do seu limite e com acompanhamento profissional sério.
Pare de ficar seguindo as dicas da sarada do Instagram.
Ela é uma pessoa e você é outra.
E, provavelmente, seus corpos são diferentes, assim como o metabolismo de cada uma.

E tenha em mente que emagrecer é bom , mas não vai solucionar todos os seus problemas .
Portanto, antes de colocar a culpa de todas as suas tristezas no seu corpo, e começar a odiá-lo por isso, respire fundo e procure entendê-lo.
Será que ele quer mesmo ficar tão magro quanto você deseja, ou quer apenas que você o ame e o exercite um pouco mais?
Você já parou para ouvir o que ele realmente quer, ou só dá ouvidos para o que os outros dizem que você deve querer?
Será que não está sendo rígida demais consigo mesmo?
Pense nisso!