Ingerir 1 ou 2 doses de álcool por dia aumenta risco de doença hepática.

Pesquisadores da Associação Europeia para o Estudo do Fígado realizaram uma análise abrangente do Relatório da Situação Global sobre Álcool e Saúde da OMS, que incluiu parâmetros para consumo de álcool em 193 países.

Os cientistas categorizaram os países como bebedores pesados ou moderados com base no consumo médio diário de álcool, sendo considerado ingestão pesada de até 1 drinque por dia para mulheres e até 2 drinques para os homens.

Além disso, foram analisados outros relatórios da Organização Mundial de Saúde referente a casos de hepatites, cirrose e outras doenças, a fim de determinar a correlação entre consumo de álcool e maior risco de complicações hepáticas.
Os estudiosos concluíram que o consumo moderado a pesado de álcool aumentou em 11,13% o risco de cirrose.

É importante ressaltar que padrões específicos de consumo, tais como ingerir altas quantidades de álcool de forma episódica ou o tipo de bebida ingerida, não se relacionaram de forma independente com o maior risco de doenças hepáticas.
Dessa forma, o trabalho mostra somente que a ingestão de 1 ou 2 bebidas alcoólicas por dia pode aumentar as chances de doença hepática.

Cirrose

De acordo com a Organização Mundial de Saúde, cerca de 6% das mortes no mundo são causadas pelo consumo de álcool, a maioria de cirrose alcoólica.
Metade de todos os casos de cirrose é causada pelo álcool.

Cirrose é uma condição médica em que o fígado deixa de funcionar corretamente devido a lesões prolongadas.
Estas lesões são caracterizadas pela substituição do tecido normal do fígado por tecido fibroso.
• A doença desenvolve-se lentamente ao longo de meses ou anos.

• No início é comum que não se manifestem sintomas.

• À medida que a doença se vai agravando, a pessoa pode sentir-se cansada, fraca, com comichão, ter as pernas inchadas, desenvolver icterícia, ferir-se com facilidade, acumular líquido no abdômen ou surgirem angiomas estelares na pele.

• A acumulação de líquido no abdômen pode infetar de forma espontânea.

• Entre outras possíveis complicações estão a encefalopatia hepática, hemorragias das varizes esofágicas ou gástricas e cancro do fígado.
A encefalopatia hepática causa confusão e pode provocar perda de consciência.