Qual a melhor maneira para deixar de fumar?

É comum ouvirmos histórias de fumantes que, na tentativa de deixar de fumar, afirmam que ir fumando progressivamente cada vez menos é mais fácil e eficaz para pararem, do que deixa de fumar de uma só vez, subitamente.

Só que na tentativa de deixar de fumar, parar subitamente parece ser mais eficaz que diminuir progressivamente.

Qual a melhor maneira para deixar de fumar?
Qual a melhor maneira para deixar de fumar?
Qual a melhor maneira para deixar de fumar?

A maioria das Normas de Orientação Clínica recomenda que o fumante deixe de fumar abruptamente (o método da determinação do dia e hora em que se decide parar completamente), acompanhada por métodos de suporte (psicológico, medicamentos, etc.) ou não.
Mas, na prática, as pessoas preferem na maior parte dos casos ir diminuindo o consumo do cigarro progressivamente, com receio dos sintomas de abstinência.

Qual a melhor maneira para deixar de fumar?
Qual a melhor maneira para deixar de fumar?
Qual a melhor maneira para deixar de fumar?

Um ensaio clínico recentemente publicado na conceituada revista americana Annals of Internal Medicine (doi:10.7326/M14-2805) veio colocar uma luz no assunto.

Um conjunto de pesquisadores ingleses dividiu aleatoriamente um grupo de 697 fumantes (metade mulheres) e pediu a uns – o grupo gradual – para irem fumando cada vez menos até pararem (no final de um período de 15 dias) e a outro – o grupo abrupto – para deixarem de fumar completamente num dia previamente determinado.
Em ambos os grupos os pacientes utilizaram antes e depois os adesivos de nicotina, assim como aconselhamento psicológico por enfermeiros.

Os resultados demonstram que, ao fim de 6 meses, 15,5% dos fumantes no grupo gradual mantinham-se sem fumar, comparado com 22,2% do grupo abrupto.
Estes resultados parecem recomendar que os fumantes que queiram deixar o vício devê-lo-ão fazer sob supervisão clínica ou não e de maneira abrupta (subitamente), caso queiram ter alguma possibilidade de sucesso.

Há ainda de se notar que deixar de fumar é muito difícil: afinal, apenas 1 em cada 5 fumantes se mantinham sem fumar ao final de seis meses, apesar do tratamento sofisticado e complexo a que foram sujeitos.

fumar-fumantes-subitamente-progressivamente-abstinência-sintomas-adesivos-nicotina-psicológico-tratamento 7

Próximo Post

Anterior Post