De acordo com a neurociência, não há resposta conclusiva para a pergunta, mas há indícios que nos ajudam a entender os sonhos.

De acordo com os especialistas, os sonhos “recrutam memórias novas e velhas em uma ordem que não é sequer parecida com a que elas foram adquiridas”:

Por esse motivo, os sonhos podem ser muito estranhos.
Nos lembramos de quando queríamos ser piratas, de quando fomos ao zoológico com a nossa avó e de quando namorávamos ou queríamos namorar com a Jennifer Lawrence, em combinações diferentes, em sequência ou com intermitências explica, coordenador do Centro de Memória da PUCRS.

Mas qual é a serventia de sonhar?
Os neurocientistas são taxativos: “ninguém sabe”.

Pode ser que sirvam para ensaiar memórias, como os ensaios do teatro, ou para auxiliar na consolidação de memórias.

Para o psiquiatra e psicanalista da Sociedade Psicanalítica de Porto Alegre e presidente do Centro de Estudos Psicanalíticos de Porto Alegre, Gustavo Soares, é difícil sintetizar o significado do sonho. Mas foram os estudos de Sigmund Freud que deram outro sentido a ele:

Com o livro Interpretação dos sonhos, de 1905, Freud descobriu que existe uma área da mente chamada inconsciente.
Quando uma pessoa fala sobre o sonho, dá uma explicação muito objetiva, lógica, exata.
Ele chamou isso de conteúdo inconsciente, que é o que gera esse sonho.
Por isso, não podemos fazer uma interpretação genérica.
Cada sonho tem significado com relação à vivência de cada pessoa.

Soares explica que o sonho tem duas funções. Uma delas é proteger o sono.
A outra, e mais elaborada, é o tratamento psicanalítico da vida de cada um.
Para isso, cita o exemplo do famoso sonho com dentes quebrados, que muitos associam à morte.

Quando a pessoa quebra um dente, relaciona com agressividade, que lembra violência, que lembra a morte.
É uma sequência de pensamentos que pode levar a uma generalização.
Mas aquilo pode trazer diversos significados, dependendo da pessoa.

O sonho também pode ser desencadeado por aquilo que a gente vive no cotidiano.
Se houve uma discussão com alguém, dorme e sonha com aquela situação.
Diz no sonho aquilo que não podia ter dito, briga, xinga.
Isso pode gerar o pesadelo, que surge quando a pessoa não digeriu bem as emoções.

Porém, por mais que muitos sintam-se sufocados ou até aflitos com alguns pesadelos, o psicanalista afirma que sonhar faz bem para a saúde mental.
E reforça que o significado de cada história que nasce durante a noite depende de experiências individuais:

Cada um tem a sua vivência interna, como a interpretação de uma obra de arte em que cada um tem sua visão particular.
Em cem anos de estudos da psicanálise, poderia dizer: ainda bem que sonhamos.
Sonhar é preciso, navegar não é preciso. A função do sonho é muito importante, tanto quanto pensar.